Regiões para se beber bons vinhos da França

 

Não é segredo para ninguém que sou apaixonada pela França (sim, confesso que até agora, é meu lugar favorito da vida, onde eu mais amo viajar). E cada vez que vou até lá, como amante dos vinhos, gosto de conhecer mais rótulos e regiões produtoras de vinhos. Já visitei alguns lugares lindos e são essas informações que quero compartilhar com vocês hoje. Nem todos os vinhos franceses são bons, mas garanto que qualquer região vale a visita, de tão lindos que são. Então, já anota essas dicas para você também ir visitar.

– Bordeaux

Essa região francesa produtora de vinhos dispensa qualquer apresentação. Na minha última viagem à França, tive o prazer de visitar Bordeaux e algumas das belíssimas regiões como Haut-Médoc, Sauternes, Graves, etc. Saint-Émilion conquistou meu coração. São inúmeras vinícolas, a mais parte com prestígio e muita história. Aqui os melhores vinhos são feitos com as uvas do corte bordalês (corte é o que chamamos de blend, nesse caso, com uvas de Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc, Petit Verdot e aí existe uma divisão entre Malbec e Carmenère). São vinhos tintos com personalidade e bastante corpo. Também encontramos os fabulosos vinhos doces feitos com uvas botritizadas que são os melhores do mundo. Não deixe de visitar vinícolas lindas como Château d’Yquem e Château Gruaud La Rose.

– Borgonha

Quando pensamos em Borgonha, nos vem a cabeça os vinhos feitos com duas uvas em específico. Pinot Noir e Chardonnay. Essa região é um pouco menos fria que Bordeaux, então aqui uvas com rápido processo de amadurecimento (como a Pinot Noir) vão muito bem. A capital da região da Borgonha é a cidade de Dijon, onde podemos comprar a melhor mostarda ever. Minha dica aqui, é que experimente (nem que seja uma tacinha) de um vinho chamado Chablis. Ele é caro, mas é bem especial. Ele é feito com uvas Chardonnay que não passaram em barricas de carvalho. Ele fica leve com características compatíveis para se realizar uma das harmonizações mais perfeitas que existem. Chablis com ostras. Você precisa experimentar.

– Champagne

Aqui existem alguns fatores interessantes que gostaria de colocar. Primeiro, a facilidade em acessar Champagne. A região prestigiada fica perto de Paris, sendo possível fazer até um bate e volta. As regras em Champagne e os controles são tão rigorosos, que aqui temos algo importante. Não existe champanhe que seja menos do que ótimo. As uvas são maravilhosas, o clima é ideal e eles usam vinhos de reserva (vinhos de safras anteriores, caso aquela safra atual não seja boa). As fermentações têm controles, o método que se produz o champanhe é rigoroso, etc. Enfim, tudo isso faz com que não exista um champanhe ruim. Todos são ótimos. O que justifica os altos valores. Ah! Quando for para lá, fique hospedado na cidade de Reims. É maravilhosa.

– Alsácia

Outra região impecavelmente maravilhosa da França. A Alsácia é conhecida por produzir vinhos célebres com as uvas Riesling e Pinot Gris. Duas uvas brancas com características bem peculiares. A região faz fronteira com a Alemanha e com a Suíça, sua capital é a linda cidade de Estrasburgo. Também é possível chegar à Alsácia de trem, saindo de Paris. O bacana da Alsácia, é que lá de produz alguns dos melhores brancos do mundo e existe uma variedade no tipo do vinho, desde os vinhos tranquilos, passando pelos espumantes e até os vinhos doces. Essa diversidade de vinhos agrada a qualquer paladar.

– Vale do Loire

Meu coração até se inflama quando lembro dessa viagem para o Vale do Loire. Que região linda, quantas coisas maravilhosas para se ver por lá. Impossível não se apaixonar pelo Vale do Loire. Além dos castelos incríveis e das paisagens naturais únicas, o Vale do Loire também é uma região produtora de vinhos na França. Lá, a estrela maior é a uva branca chamada Chenin Blanc (ela é originária da região), que se produz muitos vinhos maravilhosos, mas os destaques ficam com os espumantes. Um belo Vouvray do Vale do Loire vai ser inesquecível em sua vida.

– Aix de Provence

Aqui nós vemos la vie em rose totalmente (hehehehe). Sim, a região de Provence é considerada por muitos (quase todos) como a capital do vinho rosé no mundo. E aqui acontece algum bem parecido com o que acontece em Champagne. Mais da metade dos produtos são estão de acordo com as exigências que o pessoal que controla as Apelações de Origem impõe. Isso significa que a maior parte dos produtores realmente cumprem tudo certinho para produzir um bom vinho rosé. Aqui a harmonização étnica funciona bem (é aquela que se combina o vinho com pratos da gastronomia do local onde o vinho foi produzido). Um belo vinho rosé de Provence com um prato de camarões à provençal. Só de pensar me dá água na boca.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *