viagensdatalita_rock_rocktrip_diamundialdorock_rockneverends

Dante Mantovani falando sobre rock!

Gente, desculpa mudar totalmente o assunto aqui no site, mas dessa vez eu não pude deixar passar esse tema que saiu hoje e todo mundo está falando. Não sou de ficar falando sobre política, mas esse tema é algo que está presente em minha vida todos os dias, então achei que precisava deixar meu recado aqui. O novo presidente da Funarte (Fundação Nacional de Artes), o maestro Dante Mantovani, está sedo crucificado nas redes sociais devido seus comentários sobre o rock. Bom, como vocês sabem, eu escuto rock desde quando estava na barriga da minha mãe, estudo muito sobre o assunto, escrevo para vocês e também leio muito sobre rock e sua história. Quero deixar aqui a minha opinião sobre o assunto e espero de verdade que esse senhor, leia esse texto.

Ele deu uma declaração falando que o rock induz as pessoas ao satanismo, ao aborto, às drogas, ao sexo, à violência e tudo mais. Tenho que respirar fundo (mas beeeem fundo mesmo) antes de começar a dissertar sobre esse assunto.

Vamos lá! Primeiro de tudo, quero dizer que eu acho o cúmulo um governo falar sobre religião. Quando um governo fala sobre uma religião em específico, ele está praticamente excluindo todas as outras pessoas que possuem uma outra religião. Se você é evangélico e quer que o país que você comanda, seja evangélico, quem for católico, espírita, umbandista, budista e até ateu, está excluído do seu governo? Não faz parte do seu país? Bom, eu não sei o que esse cara Dante Mantovani quis dizer sobre “o rock induz ao satanismo”. Se a pessoa acredita no Satã e quer vender a alma para ele, quem sou eu para dizer que ela não deve fazer isso? Isso levando em consideração de que realmente aconteça, ok?! Eu conheço centenas de pessoas que são tão loucas por rock quanto eu, e ninguém curte essa parada. Então, ponto negativo, pois o rock não induz nada. Se a pessoa acha que ela deve seguir esse caminho, o rock não tem nada a ver com isso.

“O rock induz ao sexo”. Mas gente! Será que este senhor não leu nenhuma letra de funk? Se o rock induz ao sexo, o que o funk faz? O que o sertanejo faz? Fico horrorizada com as letras de funk que reduzem a mulher a objeto sexual dos “manos mcs”, sendo machistas, escrotos e tratando mulheres como se fossem nada além de uma transa e que venha a próxima. Não me lembro de nenhuma letra de rock que fale 5% do que existe nas letras de funk. Hoje em dia, a meninada de 12 anos (que nem sabe o que é rock) já está fazendo mais sexo do que muito adulto, então quem é o rock na fila do pão para induzir alguma coisa? Se é para pensarmos que algo induz alguma coisa, vamos pensar que o funk induz ao contágio por DST (nem preciso dizer que muitas letras são só sobre uma fila de mulheres que estão esperando para transar para o tal cara que canta), induz a violência contra a mulher (várias letras fazem sim apologia ao estupro), induz ao crime (pois muitos artistas desse gênero musical asqueroso, está preso ou tem passagem pela polícia, e eles deixam isso claro nas letras) e outras coisas que não quero lembrar, pois meu cérebro não é lixo para ficar reverberando essas coisas nojentas.

“O rock induz ao aborto”. Bom, nunca deixei minha opinião aberta sobre esse assunto, mas eu sou contra ao aborto para mim. Eu não teria coragem de fazer, mas não condeno quem faça. Acho que cada uma sabe das suas responsabilidades e das consequências de seus atos. Temos o livre arbítrio para fazer o que nos der na telha e não existe uma letra sequer de rock, que eu conheça, que faça alguma menção sobre o tema de forma a induzir alguém a isso. Realmente, é uma afirmação totalmente equivocada do senhor presidente da Funarte, Dante Mantovani.

“O rock induz ao uso de drogas”. É de conhecimento de todos que muitos artistas usam drogas. Isso no rock, no funk, no sertanejo, na música clássica, no jazz, no blues, no forró e em todos os lugares. O uso de drogas não é algo exclusivo dos artistas de rock. Nessa parte existe sim algumas músicas que foram criadas sob os efeitos de drogas e elas passam essa sensação de “viagem” que a droga dava aos artistas. Longe de mim querer romantizar isso, mas escutar Pink Floyd ou Jimi Hendrix e não se sentir bem, é algo impossível. A diferença é que os caras de antigamente, usavam as drogas para expandir sua consciência e criar mais, ou para fugir da realidade que os artistas muitas vezes não conseguem suportar (isso vemos até hoje, como os atores que se matam e tal, não preciso citar nomes). Os moleques de hoje, usam drogas porque é modinha e é um pretexto para fazer merda e dar como desculpa. A verdade é que a geração que cresceu Elvis (nos anos 50), Beatles (nos anos 60), Led Zeppelin e Pink Floyd (nos anos 70) e as bandas de hard e glam rock (nos anos 80), são adultos muito mais legais do que os que essa geração está criando.

O que quero dizer sobre as declarações do senhor presidente da Funarte, Dante Mantovani, é que ele está enganado quando diz essa porrada de bobagens. Claro que ele deve ser um cara estudado, afinal para ser maestro não é fácil. Claro que ele deve conhecer muito sobre música clássica. Mas ele deveria saber que a música clássica, é a mãe de todos os gêneros musicais que vieram depois, incluindo o rock. O rock veio do blues, que por sua vez veio do jazz (que surgiu entre 1890 e 1910, e mesmo lá boa parte dos artistas morriam de overdose) que por sua vez, veio da música clássica, que surgiu pela necessidade de explorar ainda mais cada instrumento e cada melodia. É evolução. Não podemos deletar um passado de evolução e dizer que o rock não é música (apesar de eu entender o que ele quis dizer sobre isso, dizendo que o metal não é música). O rock foi a expressão de uma geração que lutava por muitas coisas, principalmente por igualdade e liberdade. Podemos ver isso nas letras de qualquer banda dos anos 70, de qualquer banda que participou do festival musical de Woodstock (hahahaha ele disse que existiram soviéticos infiltrados dando drogas para a galera nesse festival também).

Resumindo, acho que o senhor maestro Dante Mantovani precisa estudar um pouco mais sobre rock, antes de falar esse tipo de coisas. Com certeza ele entende bastante sobre música clássica, mas essa mentalidade retrograda sobre o rock… Não dá! Ele também precisa respeitar as opções de cada um, seja a opção da pessoa fazer o aborto ou pertencer ao satanismo. Cada um faz o que quer com sua vida, pois é ela que vai arcar com as consequências de seus atos. Não somos ninguém para falar que isso está errado. É errado matar? Claro! Para mim é. Mas para outras pessoas não é, e eles matam, por natureza de maldade e devem pagar pelas consequências dos seus atos. Não é uma música que vai fazer com que essa pessoa mate. Não é uma música que vai fazer uma mulher abortar. Espero que isso tenha ficado claro. Ah! Uma dica para o senhor maestro. Um governo precisa acolher a todos e não excluir.

2 Comentários

    • Valerie Munoz -

    • 3 de dezembro de 2019 at 08:38 am

    Lamentáveis esses nossos governantes… um Absurdo…
    Viva o Rock, viva a pluralidade de culturas, sons, gentes e gostos
    bjs – Val

      • Talita Bortolussi -

      • 3 de dezembro de 2019 at 09:44 am

      yeaaahh yeah. isso mesmo!! absurdo falar isso do rock.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *