Desfile Inverno 2020 de Chanel na Paris Fashion Week

Liberdade. Essa é a palavra que define o que foi o show da grife francesa Chanel, durante a Semana de Moda de Paris. Virginie Viard, que é a diretora criativa da grife e era a mais próxima de Karl Lagerfeld antes de falecer, declarou que a liberdade que ela quer trazer para às passarelas, é o mesmo tipo de liberdade que um cavaleiro sente ao ver seu cavalo em uma paisagem linda. Essa ideia de liberdade se traduziu em praticamente todas as peças da coleção de Outono Inverno 20/21 da Chanel. Uma coleção composta de peças fluidas, não forçadas, perfeitas para mulheres que querem se sentir confortáveis como em suas casas, mas sem deixar de lado a elegância que a Chanel transpira em todas composições.

Virginie sabe muito bem como fazer isso e o resultado, foi um dos shows que eu mais gostei dessa temporada. Uma das inspirações que ela utilizou para criar essa coleção, foi uma foto de Lagerfeld com Piaggi, e nela existe uma bota de montaria que foi usada como inspiração para a criação de uma das botas que com certeza será um dos grandes must have da temporada, que é uma bota de cano longo preta com um detalhe em marrom. Bem de montaria mesmo. Achei bacana que em alguns momentos, as meninas entravam em pares ou trios, de braços dados, sorrindo e conversando levemente, como se fossem amigas de longa data apenas curtindo o momento vestidas de Chanel. Chiquérrimas.

Na cartela de cores, vimos novamente as mesmas que estarão bombando nessa temporada de Outono Inverno 20/21, onde o preto reina absoluta, junto com o xadrez, o offwhite, o cinza e alguns tons de marrom. Muitas texturas nos tecidos e alguns mix de estampas discretos, que também virá bem forte na próxima temporada.

A inspiração dos cavalos, além da bota que montaria maravilhosa, também apareceu em alguns detalhes das peças. Braçadeiras de seda de um jóquei, foram colocadas nas mangas de um casaco e também algumas imagens de Pegasus. Isso porque Gabrielle “Coco” Chanel teve um romance com um ousado jogador de pólo e com isso, ela veio a se apaixonar por cavalos também. Um elemento que vira e mexe está presente nas coleções de Chanel, como uma forma de manter a essência de Coco viva, sempre com temas e inspirações de fatos e coisas que ela gostava.

Tivemos também muitas calças e saias no estilo jodhpur, onde elas foram feitas e projetadas para serem abertas na lateral, com botões de pressão que a gente pode ou não deixar aberto. O importante é frisar a maleabilidade e o movimento de cada peça. Acredito que uma das palavras que define melhor essa coleção da Chanel, é romance. Coco era uma mulher apaixonada por muitas coisas em sua vida, e eles conseguiram traduzir esse romance em mais uma coleção. Amei ver que as mulheres Chanel são leves, modernas, românticas e firmes ao mesmo tempo. Como toda mulher deveria ser.

Gostou do desfile da Chanel? Quer saber como foi o desfile da outra grande grife francesa, Louis Vuitton, lá na Semana de Moda e Paris? Então acesse esse link aqui embaixo.

Desfile Inverno 2020 de Louis Vuitton na Paris Fashion Week

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *